Rollemberg recua e retira fusões das Administrações da pauta da CLDF

28
Print Friendly, PDF & Email

Fim da Briga. Deputados, lideranças de associações de moradores e a população de áreas afetadas comemoram decisão de governador.

Um tema que causou muita polêmica e criou desconforto na relação entre o governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB) e parlamentares na Câmara Distrital do Distrito Federal (CLDF) foram as fusões de Regiões Administrativas anunciadas por Rollemberg em Janeiro, sob argumento de reduzir despesas aos cofres públicos. O PL previa a redução de 31 para 24 administrações com fusão das RA de Lago Sul e Jardim Botânico; Sobradinho II e Fercal; Lago Norte e Varjão; Guará e SIA; Núcleo Bandeirante, Candangolândia e Park Way; e ainda de Cruzeiro, Sudoeste e Octogonal.

Embora o GDF ainda não tenha emitido nota oficial sobre o assunto, deputados já comemoram na CLDF. Esse é o caso do distrital, Chico Vigilante (PT), que foi enfático: “Até que enfim, o governador Rodrigo Rollemberg tomou uma atitude sensata”, no momento em que houve a retirada do PL para votação na CLDF.

Segundo Vigilante: “Desde o primeiro momento, me posicionei contra esse verdadeiro absurdo, pois o PL pretendia fundir A luta dos moradores dessas cidades também foi fundamental para que o governo pudesse voltar atrás nessa decisão infundada.”, afirmou ao lembrar a importância do papel da população na decisão de Rollemberg: “A luta dos moradores dessas cidades também foi fundamental para que o governo pudesse voltar atrás nessa decisão infundada.” complementou.

Apresentado pelo Exucutivo à CLDF, o Projeto de Lei nº 182/2015 enfrentou resistência não só na Câmara, mas também por grupos organizados da sociedade civil, em diversas RAs, a exemplo dos moradores da Fercal, Jardim Botânico e ainda de Núcleo Bandeirante e Park Way.

Publicidade

As comunidades das RAs agradecem

adm2Para o ex-administrador da RA Núcleo Bandeirante, Danúbio Martins, que representa um grupo grande de moradores contrários às fusões, prevaleceu o bom senso. “Semana que vem faço 58 anos que moro no Núcleo Bandeirante e esse é um grande presente. Meu pai foi um dos fundadores do grupo pró-fixação do Núcleo Bandeirante, e me orgulho em saber que a cidade preservará sua autonomia, sua cultura e principalmente o legado da ‘Cidade Mãe’.”, afirmou ao lembrar que a  ‘Cidade Livre’, como também é conhecida, manterá a identidade da cidade que acolheu os pioneiros durante a construção de Brasília.

Martins observa ainda que a população e, principalmente, os empresários precisam da intervenção do governador para que a cidade volte funcionar: “Nossa cidade está estagnada e os comerciantes estão sendo prejudicados com a falta de pessoal qualificado para atender na nossa administração, para resolver os problemas do Bandeirante.” afirmou.

O vice-presidente da Associação dos Moradores do Tororó e Adjacentes (Atua) Tone Duarte, também falou sobre o fim das fusões. De acordo com Duarte: “Nós reunimos oito lideranças das associações de moradores da região dos condomínios das regiões do Altiplano Leste, Jardim Botânico, São Bartolomeu e Tororó e a avaliação é positiva.”, afirmou ao lembrar da mobilização de associações e moradores da região “Foi um ganho proveniente de muita luta que culminou em uma grande mobilização na Câmara Legislativa. Nesse caso com a retirada do PL das fusões, tem a ganhar o governo Rollemberg e a população que conquistou, com muita luta, uma administração na cidade. E a administração é imprescindível pois dá identidade política e cultural à nossa cidade.”

Agora é nomear os administradores

adm1Duarte lembrou ainda que agora entra outra etapa, as nomeações dos administradores definitivos. “Nós entendemos que esse foi um movimento feito comunidade e agora cabe ao governo atender ou não nossa reivindicação em relação à lista tríplice, onde indicamos nosso nome para administrador da região. Isso porque nos últimos nos últimos 100 dias do governo Rollemberg, a Região Administrativa de Jardim Botânico ficou em total abandono. O administrador que responde interinamente pela nossa administração parece não dar conta sequer do Lago Sul deixou a nossa cidade em total abandono.”, afirmou.

6

Comentário