Secretaria de Saúde: ‘Desvio’ de função autorizada?

24
Print Friendly, PDF & Email

O governador, Rodrigo Rollemberg (PSB), tem feito um esforço concentrado para dar aos cidadãos do DF efetividade nos serviços de Saúde, Segurança e Educação. Em 4 de Março o blog Política Distrital publicou matéria intitulada Lugar de bombeiro é na administração?, em que foi lembrado o esforço do governador, em relação à segurança pública que comemorou ao retirar das áreas administrativas 400 PMs e 100 Bombeiros, colocando-os para atuar nas ruas.

Mas na Secretaria de Estado de Saúde (SES-DF) o remanejamento de médicos de funções administrativas para os hospitais, ajudaria a reduzir o déficit de profissionais de saúde para atender a população. Afinal, é comum se ouvir falar em telejornais das longas filas de esperara de pacientes que aguardam cirurgias, as vezes por anos, procedimentos que não acontecem por falta de especialistas.

Denúncia recebida pelo blog Política Distrital, por fonte que não quer ser identificada, aponta “Diversos profissionais especializados passam os dias na SES-DF, cumprindo funções meramente burocráticas quando poderiam estar nos hospitais atendendo.”, afirma. Além de auxiliares e técnicos de enfermagem, de laboratório, enfermeiros há vários médicos por conta da Secretaria para realizar atividades meramente administrativas.

Mas o que chama a atenção são os médicos. Há por exemplo, uma médica, com doutorado em neurocirurgia de crânio e coluna; em cirurgia vascular; em medicina do trabalho, cardiologia, entre outras especialidades.

Ainda segundo a denunciante “Esses profissionais muitas vezes desempenham mau  suas funções na Secretaria uma vez que não têm preparo adequado para exercê-las, o que prejudica a condução administrativa e o mais grave, a atividade fim, que é o atendimento ao paciente.”, complementa.

Publicidade

Essa pode ser uma boa dica para Rollemberg aproveitar melhor os quadros de médicos e demais profissionais de Saúde, com expertise para tratar da saúde das pessoas e, talvez, até gastar menos, com pessoas capacitadas para exercer as funções administrativas.

6

Comentário