TRATAMENTO DESIGUAL: Enquanto Rollemberg não se decide sobre derrubada de invasão chic no Lago Sul, Dep. Lira promete processar quem fala mal dele sobre as derrubadas no Morro da Cruz

33
Print Friendly, PDF & Email
Por Ascon RCN

O governador Rollemberg ainda estaria decidindo se cumpre ou não a decisão da Vara de Meio Ambiente, Desenvolvimento Urbano e Fundiário do Distrito Federal, que determina a demolição de piscinas, quadras esportivas, churrasqueiras e até mesmo algumas residências à beira do Lago Paranoá. Na próxima segunda-feira (6) o governo reunirá todo o staff jurídico para debater o assunto. O prazo dado pela justiça vai até a primeira semana de maio.

Já sobre as derrubadas de casas humildes no Morro da Cruz, zona rural de São Sebastião, o governo ameaça continuar com as operações na proxima semana. O 1 morro dadeputado Lira (PHS) prometeu processar várias pessoas que se identificam como moradores do Morro da Cruz por criticarem, através das redes sociais, a postura do parlamentar de ter abandonado os moradores no momento da “tratorada” realizada pela Agefis que botou no chão 13 casas na quarta-feira (01).

A promessa de recorrer à justiça foi feita por Lira através de sua pagina pessoal que mantém no Facebook. O distrital cita os nomes de Cideilma Carvalho, Haelly Kethelyney, Jéssica Polyanne, Cristiano Sousa, Luciana Melo, Aline Araujo, Narcelio Liko dentre outros e completa:

1 morroda“A vocês informo seguinte: 1) Dizem que uma mentira contada mil vezes, se não for contestada, acaba virando verdade. É exatamente o que as pessoas que estão por trás destas postagens maldosas estão fazendo. Ediano Sousa Silva e mais alguns dois aqui da internet, serão acionados na justiça, sim, para provarem que eu estou derrubando a casa das pessoas. Saibam, pois, todos vocês, que sou solidário a todas as famílias que moram nos bairros Morro da Cruz, São Gabriel, Capão Comprido, Bela Vista, Vila do Boa, etc… que, de alguma forma, compraram os seus lotes de alguém ou que, por necessidade, invadiu um lote. Fico triste quando vejo esse tipo de destruição. Por causa disso pedi, semana passada, o afastamento da Bruna, da direção da AGEFIS porque, a meu ver, ela deveria ter agido de maneira preventiva e não deixar o povo construir para, depois de algum tempo, derrubar! Tem coisas que eu dou conta de fazer e, tem coisas que não! Por isso nem sempre posso interferir no trabalho da AGEFIZ ou do governo como ontem, por exemplo. Nunca prometi ficar diante das máquinas para impedir derrubada de casas. Prometi lutar por uma cidade melhor para todos e é exatamente isso que estou fazendo! Se alguém aqui se sentiu prejudicado deve ir atrás de quem vendeu o lote e cobrar dele o dinheiro de volta. Não posso ser marginalizado por algo que não fiz!”, escreveu o deputado.

Publicidade

Uma das pessoas citadas e ameaçadas por Lira, lhe respondeu: “Entendo você Deputado Lira. Sei que nem tudo está ao seu alcance, mas por hora as pessoas estão revoltadas e aguardaram uma posição sua sobre as derrubadas, mesmo essas derrubadas sendo previamente anunciadas como se comentavam na cidade sendo de conhecimento de várias pessoas da administração. O Morro da Cruz cresceu e as pessoas esperam sim de você tenha uma posição mais firme e que faça uma reunião no bairro pelo menos com os prejudicados. Isso seria uma demonstração de seu compromisso com a cidade. Só acho viu…”


LIRA FAZ NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE AS DERRUBADAS NO MORRO DA CRUZ

Prezados Senhores – Não esqueci e nunca vou esquecer a minha luta em prol da moradia, principalmente no que diz respeito aos bairros Crixá e Nacional. Não se deixem enganar por informações mentirosas divulgadas por pessoas que agora se dizem defensoras do povo quando, na verdade, estão defendendo os seus próprios interesses pessoais, já que, muitos deles, venderam gato por lebre para famílias carentes.

Essas pessoas, a meu ver, deveriam estar na cadeia! Eu sempre lutei e luto até hoje pela implantação dos dois bairros mas, como eles vão sair do papel se as áreas estão quase todas loteadas ilegalmente? O governo passado fez vista grossa para muita coisa e, de certo modo, acobertou essa situação. Por isso não acho justo a AGEFIS derrubar a casa de quem já está morando no local já algum tempo. Estou tentando encontrar outra solução que não seja essa.

Pelo o que eu percebi, por trás destas manifestações contra a ação da AGEFIS, tem agentes políticos infiltrados e que estão ali, entre os moradores, apenas para fazerem politicagem e, nessa ceara eu não posso entrar. Onde, inclusive, fui acusado de coisas que não fiz, só para denegrirem a minha imagem. Mas, independentemente disso, estou do lado da população e vou fazer de tudo para honrar o meu chamado como deputado distrital.

Essa ação no bairro Crixá foi uma ação de rotina da própria AGEFIS e, por causa disso, não tinha como saber com antecedência que a mesma iria acontecer nesse dia. Quando tudo estava acontecendo eu estava em reunião com alguns órgãos do governo para tratar da mobilidade urbana do Jardim Botânico e São Sebastião e saúde. O fato de eu não ter estado lá, pessoalmente, não significa que eu não esteja solidário às seis famílias que tiveram as suas casas derrubadas. Por isso é importante ouvir as duas partes antes de publicar uma matéria como a que foi publicada no site do Radar Condomínios.Cordialmente,

Deputado Distrital Lira (PHS)


 NOTA DO RADAR

O deputado Lira tem todo o direito de processar judicialmente quem ele bem entender ou quem ele julga ter denegrido a sua imagem de homem publico ou coisa assim. Só não pode afirmar que os fatos publicados por Radar Condomínios sobre a humilhação sofrida por famílias pobres do Morro da Cruz são mentirosos ou que não existiram.

O Radar faz jornalismo profissional, sério e responsável. Não procede a reclamação do distrital quando diz que o blog não o procurou para ouvir a sua versão sobre a acusação feitas pelos moradores de que teria os abandonados no momento em que a comunidade mais precisou dele.

De acordo com os dirigentes da associação de moradores (alguns deles presos e humilhados pela AGEFIS), o celular do deputado estava desligado ou na atendia. De propósito?. Era o questionamento dos moradores de Zumbir de Palmares. A equipe do Radar também fez questão de ligar para o celular 96171204 do deputado Lira mas ele não atendeu.

A iniciativa de os moradores buscarem pedido de socorro junto ao distrital está no fato de Lira ter feito juras de amor de que seria um eterno defensor da comunidade na tristeza e na alegria. Como órgão de noticia independente e sem papas na língua o Radar cumpriu a o seu papel de informar a opinião publica do DF. O Radar não tem nada contra o deputado Lira que por sinal foi um dos nossos convidados para participar da festa de 1 ano desse blog nascido na região do Jardim Botânico e conceituado pela defesa que faz do direito sagrado da moradia. Vai continuar assim, doa a quem doer.

O Editor Radar

Fonte: Radar Comdonínios

0

Comentário