Roosevelt Vilela: Lugar de Bombeiros e de PMs é na administração?

23
Print Friendly, PDF & Email

Na contramão da política de segurança pública do governador, Rodrigo Rollemberg, administrador nomeou ao menos 14 militares para a administração de Candangolândia, Núcleo Bandeirante e Park Way (Núcleo Pioneiro).

O governador, Rodrigo Rollemberg (PSB), comemorou ontem a redução dos índices de criminalidade do DF, pelo segundo mês consecutivo no DF. Em entrevista Rollemberg comentou ainda a retirada de mais de 400 Policiais Militares e 100 Bombeiros de atendimento administrativo e remoção para as ruas. Mas esse número poderia ser melhor.

Na coletiva Rollemberg apontou que a saída para melhorar a Segurança Pública sem onerar gastos para o GDF foi a realização de deslocamento dos efetivos que realizavam trabalhos administrativos para a rua.

Segundo Rollemberg: “Dou todo apoio a ação do secretário de Segurança Pública, dos comandantes da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, à diretoria da Policia Civil e ao Detran para tomar as medidas no sentido de aumentar os efetivos nas ruas.” afirmou Rollemberg.

Na contramão da política de segurança?

Publicidade

Mas o número de bombeiros poderia aumentar para 112 e até de PMs atuando nas ruas do DF poderiam ser maiores, caso o administrador interino de Candangolândia, Núcleo Bandeirante e Park Way e miliar dos Bombeiros, Roosevelt Vilela, do partido do governador, não tivesse alocado na administração da cidade, 12 bombeiros para fazer trabalho administrativo no que chama de Núcleo Pioneiro.

A denúncia que demonstra que Vilela está na contramão das prioridades de Rollemberg para a Segurança Pública do DF, parte de colega de corporação de Vilela, que não quis se identificar. “Além dos 12 bombeiros, o Roosevelt trouxe pelo menos dois Policiais Militares, sem contar algumas esposas de Bombeiros.” afirma.

Procurado pelo Política Distrital Roosevelt se defende: “A nomeação de servidores de carreira é legítima e inclusive o Tribunal de Contas e o governo pede que se priorize a utilização desses servidores pois eles recebem apenas uma gratificação.”, afirma Roosevelt ao observar que a contratação de cargos comissionados para preencher as vagas na administração sairia mais caro para o governo.

Números do GDF

Os crimes contra o patrimônio também apresentaram queda em fevereiro. Ocorrências de roubos com restrição de liberdade diminuíram 38,9%, e os roubos a transporte coletivo, 44,2%. Roubos e furtos em comércios também caíram, respectivamente, 47,6% e 33,5%. Nas residências, houve alta dos roubos (14%) e baixa dos furtos (3,5%). O número de postos de combustível roubados caiu 51,4%.

Roubos e furtos de veículos caíram, respectivamente, 50,9% e 37,2%. Mesmo com a redução de 45,4% na localização de veículos roubados, as forças de segurança do DF conseguiram encontrar 20 carros por dia, em média, ao longo do mês passado. Além disso, houve crescimento das apreensões por tráfico de drogas (91,7%) e por porte ilegal de armas (20,5%).

Entre os crimes violentos, o que mais teve redução em fevereiro foi o de tentativa de latrocínio (50%), seguido pela tentativa de homicídio (34,9%), por homicídio (12,5%) e por lesão corporal dolosa (8,5%). O governador ressaltou o índice de resolução de homicídios superior a 90%. “Não vamos nos acomodar, vamos perseguir números cada vez melhores”, garantiu Rollemberg.

O furto a pedestres, por outro lado, passou de 208 para 291 ocorrências, com 35,1% de aumento. Segundo Trindade, o aumento já era esperado. “O que aumentou, provavelmente, foi o número de registros de ocorrências. A nossa expectativa é que o número de registros de alguns crimes aumente. É a partir das ocorrências que a política de segurança pública é realizada.”

Acompanhe o balanço apresentado pelo GDF: Ver Balanço

Com informações de Rollemberg40.com.br

24

Comentário