Sindicato pede prisão de governador Agnelo Queiroz na Polícia Federal

26
Print Friendly, PDF & Email

A diretoria do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Distrito Federal (Sindate) deve protocolar nas próximas horas dessa terça-feira (23/Dez),  pedido de prisão ao governador Agnelo Queiroz (PT) e os secretários de governo envolvidos diretamente com a liberação dos valores devidos aos servidores da saúde da Secretaria de Estado de Saúde do DF, junto à Polícia Federal.

O pedido de prisão junto à PF acontece após a diretoria do Sindate ter protocolado ofício junto a SES-DF, exigindo o pagamento atrasados de férias, 13º Salário dos trabalhadores que aniversariam nesse mês, e ainda das horas-extras dos servidores da Saúde, bem como do repasse dos recolhimentos de contribuições sindicais, descontados dos contracheques dos trabalhadores e não transferidos para o Sindicato.

Após decretar o fim da paralisação (9/Dez), os Auxiliares e Técnicos em Enfermagem, passaram à condição de ‘Estado de Greve’. Isso permite que possam deflagrar nova greve caso não recebam os proventos ainda pendentes. Isso porque para tentar voltar a normalidade o GDF fez pagamento parcial do que devia aos servidores da Saúde. Os profissionais da SES-DF ainda aguardam os pagamentos remanescentes.

No intuito de evitar uma nova greve da enfermagem, a diretoria do Sindate acionará  criminalmente, por apropriação indébita, além de Agnelo, possivelmente os secretários de governo das pasta sa Saúde, Administração e também da Fazenda

Segundo o vice-presidente do Sindate, Jorge Vianna: “Essa prática do GDF para com os servidores é criminosa. Isso se chama apropriação indébita e é prevista no Código Penal Brasileiro.”, afirma ao considerar que a categoria tem buscado o caminho do bom-senso para evitar que os pacientes fiquem sem atendimento nas unidades de saúde por causa de uma nova greve.

Publicidade

O crime é previsto no Código Penal Brasileiro e se a denúncia for aceita pela Polícia Federal pode resultar em pena de um a quatro anos de prisão além de pagamento de multa.

 

100 200

3

Comentário