Enquanto isso ‘Companheiros’ continuam a ver o sol nascer

6
Print Friendly, PDF & Email

Em prisão domiciliar desde o início desse mês, o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, condenado como mentor do esquema de compra de parlamentares, popularmente conhecido como mensalão, está clima de fim de ano.

Dirceu solicitou autorização ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), para viajar entre os dias 21 de dezembro e 4 de janeiro para passar natal em Passa Quatro (MG) com a família e entre 7 e 21 de dezembro o plano era estar em cidades paulistas de São Paulo e Vinhedo para resolver problemas da empresa.
Dirceu viajou para o interior paulista em 19 de novembro, após ser autorizado pelo juiz da Vara de Execuções de Penas e Medidas Alternativas (Vepema) do TJDFT, Nelson Ferreira Junior. Uma liberação de 15 dias, contadas desde o dia 15, permitiu que Dirceu desfrutasse novos ares durante a retomada das atividades da empresa de consultoria sediada na capital paulista.
Até ai tudo certo se não tivessem se esquecido de pedir autorização do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Roberto Barroso que cancelou a autorização assim que tomou conhecimento da liberação ‘indevida’ ou não ‘autorizada’.
Para ser liberado a cumprir prisão domiciliar, Dirceu assinou um termo em que se compromete a estar em casa, no endereço informado, situado em Brasília, diariamente das 22h às 5h e durante todo o final de semana e feriados. Para viagens são autorizadas apenas mediante autorização judicial.
Enquanto isso antigos parceiros como o publicitário, Marcos Valério e o político, Roberto Jefferson, continuam a não ver o sol nascer.

 

0

Comentário