Colegiado de Medicina Cirúrgica do Hospital de Base de Brasília pede Socorro

27
Colegiado de Medicina Cirúrgica entrega abaixo assinado à SES-DF em que alertam para o perigo da falta de remédios no HBDF
Colegiado de Medicina Cirúrgica entrega abaixo assinado à SES-DF em que alertam para o perigo da falta de remédios no HBDF
Print Friendly, PDF & Email

Situação de pacientes e das pessoas que precisarem de atendimento emergencial pode pior antes de Rollemberg assumir o GDF.

Uma equipe técnica composta por um colegiado de 19 especialidades cirúrgicas do Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF) encaminhou um abaixo assinado à Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) na última sexta-feira (21) em que reclamam do desabastecimento de medicamentos na unidade de saúde.

De acordo com o documento, no HBDF há falta de “quase tudo”, desde medicamentos básicos, antibióticos, quimioterápicos, antieméticos (enjoos, náuseas e vômitos), analgésicos e ainda insumos de centro cirúrgicos como gazes e compressas, entre outros.

Diante do quadro os profissionais de saúde observam ainda que o HBDF está sem condições de garantir a assistência mínima aos pacientes críticos internados nas Unidades de Terapias Intensivas (UTIs), em casos graves como acesso venoso profundo, antibioticoterapia, intubação para manutenção de vias aéreas, diagnósticos e monitorização laboratorial dos pacientes. De acordo com o documento: “Há um estado de insegurança técnica, com comprometimento do cuidado e limitando o acolhimento aos novos pacientes adultos e pediátricos.”.

O colegiado deixa claro à SES-DF que manterá contingenciamento de atendimento com suspensão de marcação de consultas ambulatoriais, suspensão de cirurgias eletivas, priorização de cirurgias de urgência de acordo com a gravidade e complexidade, além de redirecionamentos de paciente menos graves para outras regionais.

Publicidade

FALTA DE RECUSOS
Logo após Agnelo Queiroz (PT) perder as eleições, uma série de paralisações de trabalhadores da iniciativa privada que prestam serviços ao GDF, por falta de recebimento de recursos relativos a contratos. Dentro da SES-DF, a primeira crise registrada foi a suspensão de refeições pela empresa Sanoli, aos servidores da SES-DF. E a paralisação de outros serviços vieram depois. A estimativa da equipe de transição do governador eleito Rodrigo Rollemberg (PSB), é que o GDF tenha um déficit estimado em mais de R$ 2 bilhões.

HRT DEIXA DE RECEBER PACIENTES COM CÂNCER
Na última quarta-feira (12), uma servidora do HBDF notificou esse Blog se queixando que o Hospital Regional de Taguatinga (HRT) havia parado de receber pacientes na oncologia, que trata de pacientes com câncer. Segundo a profissional os pacientes estavam sendo direcionados ao HBDF, que por sua vez estava sobrecarregado.

PLANO DE EMERGÊNCIA
O Grupo de Trabalho da Saúde, da equipe de transição de Rollemberg já está atento para os graves problemas dentro do GDF, sobretudo na saúde e está preparando um plano de contingenciamento. Mas, Rollemberg só assume em primeiro de Janeiro. E até lá? Será que Agnelo deixará os pacientes do HBDF e das demais unidades de saúde do DF irem a óbito por falta de tratamento? Com a palavra o médico, excelentíssimo senhor governador, Agnelo Queiroz.

0

Comentário