Rollemberg, Renato e o desafio de reaver o DF que o povo quer

10
Print Friendly, PDF & Email

A população do Distrito Federal deu o seu recado nos dois turnos do processo eletivo de 2013. No primeiro ao dar um basta ao governo de Agnelo Queiroz (PT-DF), que foi sinônimo de ostracismo, de descumprimento de promessas, de incapacidade de gerência, de gastos com obras superfaturadas e não prioritárias, do inchaço da máquina pública com cargos comissionados não garante reeleição.

O DF disse ainda que apenas uma mocinha em um hospital vestida de “Posso Ajudar”, não resolve os problemas com saúde de nossa cidade; que fazer inaugurações simbólicas ou monitorar hospitais do gabinete por meio de câmeras de vídeo não garante o atendimento de pacientes; que não pretende continuar a colocar crianças em ônibus para estudar em outras cidades.
Já no segundo turno o recado foi mais importante. A população acenou que não permitirá que a cidade continue a ser um celeiro de corruptos;  que é consciente que apenas o preço da passagem de R$ 1,00 não resolve outros problemas graves como saúde, segurança e educação; que não está disposta a ser manipulada ou enganada com falsas promessas.
Mais que isso, que a sociedade brasiliense deixou claro que aprendeu a discernir em meio a uma campanha eleitoral que aprendeu a identificar candidatos que usam de jogos sujos, sórdidos e mentirosos para tentar ganhar uma eleição.
Já para Rodrigo Rollemberg (PSB) e Renato Santana (PSD-DF) o recado do povo foi mais contundente. Isso porque ao dar ao novo governador e vice, um voto de confiança, deixou claro que a população estará atenta as ações, iniciativas e à forma de fazer política na cidade. A cidade se expressa favorável às mudanças, mas em uma gestão eficiente, limpa e transparente com o compromisso de que se resolvam os problemas da população do DF.
Parabéns a população do Distrito Federal, pelo discernimento na escolha dos candidatos. E a Rollemberg, Renato por aceitarem esse grande desafio de fazer com que toda a população do DF volte a se orgulhar de serem os filhos da capital do país.

 

0

Comentário